segunda-feira, 15 de julho de 2013

De Preto de Corpo e Alma P'ra Preto d'Alma Branca


Forte é minha rima e cê já vai perceber

que ela é pé no peito e quero ver segurar...

É pombo sem asa e vai p'ra lhe derrubar

P'ra quebrar lhe as pernas, p'ra muito lhe doer



Negro-branco, atente p'ra o qu'estou a dizer:

de nada adianta cê querer disfarçar...

Junto a gente branca que faz macaquear,

mano, seu pretume mais vai aparecer!



Cê se diz poeta e etcetera e tal

se diz acadêmico, intelectual

um civilizado... Honorável cristão?!



Cê corre de samba, jogo e maracatú

Foge do contado, candomblé, calundú

Se entrega passivo a essa "doce" ilusão!



Escrito em 29.06.2007 - inspirado em Negro Limitado de Racionais MC's.

Mergulhado


Minha vida oceano

Antes fonte,

foi nascente

E arroio e riacho

Correu córrego e escorreu-se...

Fêz-se rio,

grande rio

Fêz-se mar...

Fêz-se oceano



Minha vida oceano

Antes rasa superfície

Uma lâmina e só...

Água rala,

nad'espessa

Hoje é densa,

caudalosa

Tem bem mais profunda idade.



Em 27.06.07, uma maior redondilha

sábado, 13 de julho de 2013

De minha sede, vontade. De meu querer-te

Quero ter-te o dia todo. A noit'inteira.
Quero dar-te amor, ternura... Ou puro sexo.
Quero pôr-te sem razão ou noção ou nexo.
Quero amar-te e acender-te, pois, qual fogueira.
Quero entrar-te e estocar-te em tuas trincheiras.
Quero inflar-te com gozos fortes e perplexos.
Quer'olhar-te e ver teus contornos (convexos).
Quero encher-te os ouvidos de língua e besteiras.
Quer'ouvir-te aos sussurros, rouca, quase afônica.
Quero ver e sentir do teu corpo os espasmos.
Eu envolto em tuas pernas, teus braços, teu charme.
Quero ver a tua face de expressão harmônica
Estampando os prazeres, os muitos orgasmos.
E saciar-te e fartar-te e em teu corpo fartar-me.